Apê antigo, novo estilo

Recursos da arquitetura e design moderno deram outra cara ao imóvel construído nos anos de 1960

Texto Monelli Oliveira | Fotos Mariana Orsi/Divulgação | Adaptação web Tayla Carolina

O piso escuro e muitas divisórias denunciavam que o imóvel de 60 m² precisava de uma repaginada para receber Davi – um estudante de direito que veio de Fortaleza (CE) para São Paulo (SP) – e eventualmente recebe seus pais. Por isso, otimizar o espaço era uma das missões que os arquitetos Walter Mendonça e Ana Brito, do escritório Arquiteto em Casa, tinham pela frente.

Na sala, os livros foram incorporados à decoração, graças aos nichos em “L”, feitos em MDF revestido com laminado amadeirado (R$ 3.375). O painel e o rack, no mesmo material, trazem unidade ao ambiente, e quase não se nota a porta do quarto, ao lado da TV.

Símbolo do Nordeste brasileiro, a rede é uma adaptação, já que o imóvel não possui varanda. O piso escuro ganhou tonalidade mais clara depois da raspagem, tratamento do material e instalação de rodapés. O trabalho para todos os cômodos durou sete dias e saiu por R$ 4.630. Trilhos (R$ 83 com 1 m), spots (R$ 120 cada) e lâmpadas PAR 20 de LED (R$ 34 cada) compõem a iluminação da área social.

Layout fluido e moderno

Além de revestimentos, marcenaria e iluminação, os arquitetos também mexeram na estrutura do imóvel, que era mal distribuído e não contava com infraestrutura suficiente para atender à demanda dos aparelhos elétricos, por isso precisou ser refeita.

As esquadrias envelhecidas foram trocadas e algumas até realocadas, como a porta do quarto, para dar sentido à nova planta. “A cozinha fica onde era o banheiro, com isso conquistamos o moderno conceito aberto entre as áreas sociais”, explica Ana.

Cozinha-corredor

Sem a parede divisória no meio do caminho, a cozinha e a área de serviço foram integradas, melhorando a ergonomia. A marcenaria planejada tratou de deixar tudo organizado, com eletrodomésticos embutidos em nichos específicos. O investimento nessa etapa foi de R$ 9.811.

Sempre buscando uma referência urbana, a dupla de arquitetos elegeu o porcelanato Bauhaus com estampa geométrica, da Eliane (R$ 200 o m²), para revestir o frontão. O gabinete embutido na bancada, revestido com laminado amadeirado, remete ao estilo escandinavo, o que traz um clima aconchegante à cozinha “clean“. A pia é feita em quartzo branco (2,85 x 0,62) e saiu por R$ 5.158,56.

 

Para ler mais sobre esse projeto, compre a revista Decorar Mais Por Menos – Ed. 87