Como planejar uma reforma

É preciso ser lógico, trabalhar em equipe e, em casos especiais, não ter medo de se ausentar de casa

Por Marcelo Testoni | Fotos Divulgação | Adaptação web Tayla Carolina

Às vezes você tem vontade de trocar aquele piso da cozinha que está ali colocado há anos? Na sala de estar, quer derrubar uma parede para ganhar mais espaço, mas nunca decide nada? Já está cansado de ouvir dos amigos e familiares que mudanças na casa costumam ser caras e nunca saem do jeito que planejamos?

A úlcera ataca só de ouvir a voz do pedreiro, que parece que vive testando a sua paciência toda vez que pede um prazo maior? Pois é. Ninguém está imune a passar por estresse na reforma do lar. No entanto, os problemas só se confirmam quando, diante do processo de repaginar a casa por inteiro, não é feito um planejamento para que todas as etapas sejam solucionadas da maneira esperada.

Especializados em questões práticas, que não deixam de estar relacionadas com nosso bem-estar psíquico e emocional, arquitetos estenderam seus domínios para além das obras e também prestaram uma consultoria técnica para esta reportagem. Veja alguns de seus conselhos para lidar com os contratempos e vivenciar novas mudanças sem preocupações.

1. Defina o projeto

Ficar praguejando porque são muitas as ideias não ajuda em nada. Busque discutir com os moradores envolvidos a concepção da obra, para que consiga agradar a todos. Uma boa pesquisa com arquitetos ou designers de interiores pode ajudar nas tendências e dicas.

“Além do layout, é igualmente importante fazer um levantamento de toda a área a ser reformada e estudar as questões elétricas e hidráulicas”, comenta o arquiteto Cristian Illanes. Listar móveis ou equipamentos que serão dispostos no espaço é fundamental.

2. Administre despesas

O orçamento lhe dará o limite para gastar com cada item da reforma. Pesquise o preço de mão de obra e materiais com no mínimo três prestadores de serviços e tenha em mente que uma verba baixa não pressupõe necessariamente o fim dos sonhos.

“Drible a situação com atividades que você possa fazer, como pintura ou reforma de móveis”, recomenda a arquiteta Nátali de Mello. Deixe a parte pesada para a equipe de obra, como trocar piso e canos. Preveja 20% a mais do dinheiro para possíveis danos.

 

Para ler o restante das dicas, compre a revista Decorar Mais Por Menos – Ed. 87