Mais de 14 ideias para uma planta flexível

As arquitetas revelam truques para ter privacidade e ambientes integrados, além de boa circulação em um apê de 58 m²

Por Monelli Oliveira | Fotos Divulgação | Adaptação web Tayla Carolina

Parece paradoxo, mas é perfeitamente possível integrar ambientes sem perder a privacidade e garantindo a boa circulação, livre de paredes. Quem prova são as arquitetas Fabiana Albuquerque e Andréa Nigri, responsáveis pelo projeto-modelo do empreendimento Timelife, da Tecnisa, em Perdizes, São Paulo (SP).

A planta original conta com dois dormitórios – sendo um deles suíte –, banheiro social, sala de TV, de jantar e cozinha integradas, além de uma pequena varanda. Como o modelo foi pensado para um casal jovem, as profissionais desativaram o quarto simples demolindo as paredes que o separavam da área social para transformá-lo em uma sala de TV exclusiva, graças às portas de correr em madeira com brises.

“Dessa forma, o home theater pode ser integrado ao living, ampliando a sala na maior parte do tempo ou fechado, caso necessitem hospedar alguém”, explica Fabiana.

Ajustes funcionais

– A área de serviço foi discretamente ambientada na cozinha, onde a bancada de granito reserva o espaço exato para encaixar a lava e seca.

– As salas de jantar e estar são divididas apenas por uma mesa retangular. O espelho e o sofá conferem continuidade ao ambiente, que parece mais amplo.

– Substituir paredes por portas torna a planta flexível em relação a privacidade e integração.

– Outra forma de enxugar o orçamento da porta de correr e manter o visual da madeira é optar pelo laminado que reproduz o material.

– A iluminação embutida na marcenaria foi um truque visual das profissionais, que buscavam trazer aconchego ao ambiente.

Multifuncional

Usar o mesmo ambiente de maneiras diferentes é uma necessidade que virou tendência quando se trata de pequenas metragens. Nesse apê, o mobiliário e a própria iluminação setorizam os cômodos, que na verdade pertencem ao mesmo espaço.

Para não diminuir o pé-direito, as arquitetas trabalharam com pendentes, trilhos com spots e plafons, além da iluminação indireta, oferecida por fitas de LED.

 

Para ler esse texto na íntegra, compre a revista Decorar Mais Por Menos – Ed. 87